13 outubro, 2009

À DERIVA





À DERIVA
Há um barco à deriva na solidão da minha noite...
Nele, navegamos eu e ELE...
Mesmo enfraquecido e cansado, continuo remando...
No leme, ELE conduz meu coração,
Livrando-me das vagas e dos turbilhões.
Apanha com as mãos o peixe que me alimenta,
Faz cair a chuva necessária para matar minha sede
E me fortalece na esperança de encontrar meu destino.

Edson Contar

Nenhum comentário:

Postar um comentário